quarta-feira, 14 de março de 2018

Morador de rua é alvo de jato d'água em limpeza na cracolândia

Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Um morador de rua foi alvo de forte jato d'água na manhã desta terça (13) na cracolândia, no centro de São Paulo, lançado por agente responsável pela limpeza rotineira da área a serviço da Prefeitura de São Paulo, sob a gestão João Doria (PSDB).
A ação agressiva para forçar a retirada do homem sentado na calçada foi filmada e exibida pela TV Globo.
O vídeo mostra que ele tenta se proteger com um cobertor do jato d'água, lançado por pelo menos 15 segundos em sua direção, até que duas assistentes sociais avançam para interromper a ação -registrada na alameda Cleveland, por volta das 9h.
O episódio ocorreu durante operação de limpeza da região (são três a quatro por dia), que é feita com jatos d'água e é um dos principais instrumentos da gestão Doria para impedir que usuários de droga fixem barracas no local.
O secretário de Prefeituras Regionais, Cláudio Carvalho, chamou a ação de lamentável e disse que já identificou o morador de rua -que, segundo ele, não aceitou ser acolhido em equipamentos da prefeitura.
Carvalho disse que multou a empresa contratada, a Inova, em R$ 1.650 (valor contratual para infração grave) e pediu a demissão do agente.
A Inova disse que "infelizmente o colaborador tomou uma decisão equivocada ao efetuar a limpeza de dejetos humanos que se encontravam ao lado do morador".
Segundo a empresa, o funcionário afirmou ter recebido anuência do morador de rua para a retirada dos dejetos sem precisar sair do local, mas que ele será desligado.
O defensor público Carlos Weis disse que acionará a prefeitura para que dê à vítima assistência médica e indenização por danos morais e materiais. "Temos que ter calma, temos que avaliar o que tem que ser feito", disse Carvalho.
Com a condição de não serem identificados, funcionários da prefeitura e do estado afirmaram que já viram ações similares em outras ocasiões.