sexta-feira, 13 de abril de 2018

Vereadores e Prefeitura buscam resolver impasse jurídico envolvendo agentes de trânsito

   Resultado de imagem para Câmara e Prefeitura buscam resolver impasse jurídico envolvendo agentes de trânsito
Foto: Elpídio Júnior


Os vereadores de Natal participaram, de uma reunião na Prefeitura com o objetivo de resolver a situação dos 87 servidores municipais inseridos na equipe de Agentes de Mobilidade Urbana (Amarelinhos), alvos de uma ação do Ministério Público (MPRN) que visa o provimento destes cargos por concurso e restituir aos órgãos de origem os funcionários que atuam na função atualmente. Em tempo: a Justiça deu um prazo de dez dias para os profissionais serem encaminhados para outras repartições.

Para entender a questão, faz-se necessário voltar no tempo, especificamente em 2002, quando o trânsito da capital potiguar foi municipalizado e a Prefeitura realizou uma seleção interna para formar equipes de fiscalização. Já em 2006, houve um concurso para 200 vagas para agente de mobilidade urbana e quatro anos depois o Ministério Público determinou a devolução dos servidores selecionados em 2002, ação judicial que se arrasta até hoje.

Segundo o procurador-geral do Município, Carlos Castim, o primeiro passo na direção da solução será o estabelecimento de um diálogo com o juiz Geraldo Mota, prolator da decisão, a fim de marcar uma audiência para apresentar um cronograma de realização da Prefeitura das medidas que foram determinadas por ele.

"Não temos qualquer intenção de postergar, dificultar ou descumprir decisões judiciais. Queremos apenas mostrar que não podemos tomar atitudes de forma precipitada que venham trazer sérios danos para Natal. Todavia, o Juiz Geraldo Mota é uma pessoa sensível, humana e ponderada. Por isso, avaliamos a situação com calma, porque acreditamos que nossa preocupação terá ressonância no meio jurídico", finalizou Castim.