sábado, 12 de maio de 2018

Procon Natal constatou que mais de 90% dos postos repassaram aumento da Petrobras.

   


O Procon Natal realizou pesquisa de combustíveis na primeira semana do mês corrente, onde foi constatado variação mínima nos preços dos combustíveis pelo segundo mês, mas foi encontrado uma grande variação entre o maior e menor preço nos postos pesquisados. A pesquisa foi realizada no dia 27 de abril em sessenta e seis (66) postos de combustíveis da cidade do Natal em suas quatro regiões contempladas, mas apesar do aumento foi encontrado uma variação de mais de 12% entre o maior e menor preço nos postos pesquisados, tanto no Etanol como no Diesel.
O Procon Natal constatou que os preços dos combustíveis pesquisados tiveram aumento em relação ao mês de março é o que mostra a pesquisa realizada por este órgão e orienta aos consumidores que pesquise antes de encher o tanque. Apesar da política praticada pela Petrobras de ajustes de preço em paridade com a oscilação do barril de petróleo no mercado internacional, implantada desde julho de 2017, o preço de venda das distribuidoras não é o único determinante do preço final ao consumidor. 
Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras podem ou não refletir no preço final, que incorpora tributos e repasses dos demais agentes do setor de comercialização: distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis.
No comparativo entre o maior e o menor preço do mês de abril, o Etanol foi o que apresentou maior variação de (12,12%). No mês a variação do etanol foi de (8,52%), e isso equivale a uma diferença de (R$ 0,282)  centavos no litro.
No comparativo entre os meses de março e abril as variações todos os produtos tiveram aumento como mostra a pesquisa, o Gás veicular com a menor variação de (0,11%), enquanto os demais o aumento foi de (8,52%); (1,38%); (1,33%); (4,02) e (3,44%) respectivamente. Já a varição entre o maior e menor preço encontrado em combustíveis no mês, destaca-se o Etanol, de (12,12%), a gasolina comum de (11,50%) e a gasolina aditivada (11,34%).
GASOLINA COMUM
A diferença entre o maior R$ 4,369 e o menor preço R$ 4,219 da gasolina comum teve uma variação de (3,56%), a variação de um mês para o outro foi de (1,38%), com o preço médio R$ 4,258 no mês corrente e R$ 4,200 no mês anterior.
Entre as regiões, a Oeste foi mais uma vez a que apresentou o menor preço médio, dentre a Gasolina Comum R$ 4,240. A pesquisa encontrou o menor preço de R$ 4,219 na Zona Leste no bairro da Ribeira. Já os maiores preços foram constatados na região Sul, onde o valor médio da gasolina comum foi de R$ 4,286 e o maior valor de 4,369, no bairro da Candelária.
GÁS VEÍCULAR
No Gás Veicular, a pesquisa vem encontrado aumentos sistemáticos e neste mês o aumento foi significativo, onde oito postos permaneceram com o mesmo valor em relação ao mês anterior, uma vez que esse produto sempre tinha uma variação constante nas demais pesquisas realizadas por este órgão. 

Já em março o custo médio do gás veicular foi de R$ 3,033 e no mês corrente de R$ 3,099, sendo encontrado uma variação de R$ 0,003, chegando a um percentual de (0,11%). O menor preço constatado pela pesquisa foi de R$ 2,959 na zona Leste da cidade, no bairro de Lagoa Seca e o maior preço foi de 3,099 na zona sul, como na zona Norte, nos bairros de capim macio e Potengi respectivamente.
ETANOL
Hoje o preço do etanol em média corresponde a (84,21%) do valor da gasolina, comparado ao observado em março que foi de (78,69%), o Procon Natal orienta que não é indicado para o consumidor que possui veículo flex abastecê-lo com etanol, para ser vantajoso ao consumidor o preço do etanol deve está no máximo (70%) do valor da gasolina, ou seja, o etanol deveria custa em torno de R$ 2,980 para ser vantajoso.

O Etanol, foi um dos combustíveis que apresentou maior variação entre os pesquisados, de (12,12%) no comparativo entre o maior e o menor preço e uma variação no mês de (8,82%). No gráfico 01, observamos a variação do maior e menor preço dos combustíveis pesquisados, onde o etanol foi o combustível de maior variação (12,12%), o diesel comum e o S-10 com uma variação de (11,50%) e (11,34%) respectivamente, a gasolina aditivada e a comum com uma variação de (6,54%) e (3,56%) respectivamente, e o gás natural com variação de (5,05%).  

Mais informações, detalhes, tabelas e gráficos comparativos, você pode encontrar na página do PROCON NATAL: www.natal.rn.gov.br/procon