segunda-feira, 30 de julho de 2018

Saiba como usar os R$ 30 milhões da 1ª parcela do 13º aos aposentados

Quitação de dívidas com juros altos deve ser priorizada
Os aposentados e pensionista do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começam a receber a partir do próximo dia 27 de agosto a antecipação da primeira parcela do 13º salário.
Ao receber o montante, especialistas ouvidos pelo R7 alertam que, ao receber a grana extra, os aposentados devem priorizar o pagamento das dívidas, pensar nas despesas do final de ano e resistir aos apelos de consumo.
A orientadora financeira da Fharos Contabilidade, Dora Ramos, afirma "não existe uma 'receita de bolo' igual para todos" os que aposentados que têm direito ao saque da primeira parcela do 13º. Assim, ela explica que o primeiro passo a ser tomado deve ser "colocar o orçamento no papel".

"O essencial seria não olhar essa antecipação como um dinheiro extra, mas como algo que entra dentro do planejamento financeiro total", analisa Dora.
O sócio fundador do GuiaBolso Benjamin Gleason orienta para a importância de usar a primeira parcela do salário adicional na quitação de dívidas. "Se o aposentado estives usando o cheque especial ou o rotativo do cartão de crédito, que têm taxas de juros altas, a melhor coisa é usar esse dinheiro adicional para pagar esses valores", diz.

Caso o consumidor esteja no azul e sem preocupações momentâneas, Dora indica que é interessante salvar parte dos recursos para quitar as contas de fim de ano. “Se ele conseguir não utilizar todo esse dinheiro, quando chegar em dezembro ele vai ter um poder aquisitivo maior para fazer as compras”.
De acordo com a orientadora financeira, os beneficiados devem ainda estar atentos às tentativas que surgiram de todos os lados para retirar a remuneração extra do bolso dos aposentados. “O apelo para que os aposentados gastem também vai ser grande e cabe a ele avaliar se está usando o dinheiro com algo que quer, precisa e se não vai fazer falta no futuro”, afirma.
Investimento
Outra orientação dada pelos especialistas aos aposentados que não têm pendências financeiras é investir parte dos recursos. Gleason afirma que o ideal seria destinar 15% da remuneração extra em aplicações financeiras.

Ao avaliar as aplicações, o sócio fundador do GuiaBolso indica que os investimentos mais interessantes aos aposentados são aqueles com mais liquidez, que são ideais para a retirada da aplicação a qualquer momento sem perder dinheiro. 

“É recomendado que seja evitada a renda variável, que ele olhe para a renda fixa e faça uma mescla de produtos mais líquidos, como as aplicações em títulos atrelados ao fundo DI, que estão rendendo bem com baixas taxas de administração”, explica.