segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Defesa Civil constata risco de teto de Museu Nacional do Rio desabar

Defesa Civil: o que restou do telhado pode desabar 
Após inspeção no Museu Nacional do Rio de Janeiro, a Defesa Civil municipal constatou nesta segunda-feira (3) o risco de o telhado da edificação desabar após o incêndio que consumiu o prédio na noite de domingo.
A vistoria encontrou paredes e divisórias internas com trincas ou destruídas e, por isso, o que restou da cobertura do museu pode ruir a qualquer momento. Por isso, a Defesa Civil informou, em nota, que "mantém interditado o prédio do Museu Nacional".

"Conseguimos fazer a vistoria hoje de manhã. Verificamos que, internamente, corre risco de queda remanescente de laje, parte do teto que caiu. [Também há risco de queda das] madeiras expostas, paredes e divisórias internas devido à ausência do telhado, que ficaram instáveis”, informou o coordenador-geral da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, Luis André Moreira.

"Conseguimos fazer a vistoria hoje de manhã. Verificamos que, internamente, corre risco de queda remanescente de laje, parte do teto que caiu. [Também há risco de queda das] madeiras expostas, paredes e divisórias internas devido à ausência do telhado, que ficaram instáveis”, informou o coordenador-geral da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, Luis André Moreira.

Em relação à fachada, porém, o coordenador-geral informou que, "externamente, verificamos toda a periferia das fachadas e não se identificou risco iminente de queda das fachadas"
— São fachadas espessas e verificamos, em alguns trechos, algumas trincas e risco de queda de revestimento, de beirais, razão pela qual vamos manter essa parte também interditada até que esses riscos também sejam eliminados.

O coordenador-geral avisou que, de agora em diante, o museu deverá providenciar uma empresa para a retirada dos escombros. "Agora, a gente aguarda que o museu contrate a empresa para eliminar os riscos e as pessoas possam entrar para retirar os escombros".

— Os escombros não serão descartados, ele deve ser retirado para fazer uma varredura para ver se existe algum documento ou alguma obra do museu histórico.

com informações do R7.com