segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Ministro da Cultura acusa Roger Waters de receber R$ 90 milhões para difamar Bolsonaro

  Roger Waters aderiu ao movimento #EleNão em shows no Brasil (Reprodução/Instagram)
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, acusou o músico Roger Waters de receber R$ 90 milhões para realizar propaganda política contrária ao candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro. Ex-líder da banda Pink Floyd, Waters protagonizou protestos contra o capitão da reserva em série de shows que seguem até o fim de outubro no país.

“Roger Waters recebeu cerca de R$ 90 milhões para fazer campanha eleitoral disfarçada de show ao longo do 2º turno. Na Folha, chamou Bolsonaro de ‘insano’ e ‘corrupto’. Sem provas, claro. Disse aos fãs que não voltará ao Brasil caso ele ganhe. Isso sim é caixa 2 e campanha ilegal!”, escreveu o ministro neste domingo (21) em sua conta do Twitter.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, publicada no fim de semana, Roger Waters criticou o ministro por ter dito que estava de “saco cheio” de shows políticos no país e sugeriu que ele deveria deixar o cargo por não compreender que o candidato seria oponente ao campo da cultura.

“Esse cara está no emprego errado, tem de achar um novo trabalho. Não sei o ele que faz, mas não deveria estar numa posição de poder sobre questões culturais se dá uma declaração dessas. Porque cultura inclui música, e ela pode expressar muito da condição humana. Acho que ele deveria renunciar”, declarou o músico.

Durante os shows, o artista aderiu à campanha #EleNão e acrescentou o nome de Bolsonaro a um telão no qual cita líderes fascistas. No entanto, o nome foi retirado e substituído por “ponto de vista censurado”.

As críticas a Roger Waters por parte do ministro repercutiram amplamente nas redes. Mais tarde, Leitão rebateu as acusações de ter promovido fake news por não ter apresentado provas contra Waters. O ministro utilizou como exemplo a denúncia feita pela Folha contra Bolsonaro por suposto uso indevido do WhatsApp em campanha eleitoral.

“Obrigado a você que chamou de fake news meu post sobre Roger Waters. Prova de incoerência. Por muito menos, acusou Bolsonaro de caixa 2 e campanha ilegal. Sem provas. E o que eu disse é verdade: ele recebeu R$ 90 milhões por shows/entrevistas; e está em campanha contra Bolsonaro”, escreveu.

com informações de yahoonotícias