domingo, 10 de fevereiro de 2019

Festa de diretora da 'Vogue' é acusada de racismo; entenda


Reprodução/Instagram

Deu errado! O aniversário de 50 anos de Donata Meirelles, diretora da edição brasileira da revista ”Vogue”, foi apontado como racista por ativistas e antropólogos por conta da temática escravocrata e por usar ‘mulheres negras como decoração’. A comemoração, inclusive, repercutiu mal nacionalmente e internacionalmente.
A comemoração luxuosa aconteceu no Palácio da Aclamação, em Salvador (BA), na última sexta-feira (8), e contou com um show VIP de Caetano Veloso, além de presenças ilustres como da atriz Regina Casé, das cantoras Margareth Menezes e Preta Gil, da modelo Celina Locks, entre outros famosos e nomes de peso da high society brasileira.
A polêmica surgiu por conta das fotos (compartilhadas) em que mulheres negras, vestidas de branco, com turbantes aparecem posando ao lado de uma cadeira, utilizada pelos convidados (maioria branca) e pela própria anfitriã para tirarem fotos. Ativistas citam o traje como sendo o mesmo utilizado pelas mucamas (escravas domésticas) no Brasil Colônia, além do móvel se tratar de um artefato utilizado pelas mulheres brancas da época, chamadas de ‘sinhás’. E o do fato das negras aparecerem como uma “peça decorativa” nesse cenário.
Shelby Ivey Christie, diretora da Loreal EUA e negra, fez questão de posicionar sobre a temática e expôs Donata em uma série de posts em seu Twitter. Vale lembrar que a Vogue faz parte de um grupo internacional com grande peso no mercado editorial global.
com informações de yahoonotícias