quarta-feira, 13 de março de 2019

Bebê atingido na cabeça por pedra jogada por médico tem alta

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Heitor Jesuíno, de apenas um ano de idade, foi atingido na cabeça por uma pedra arremessada pelo médico e empresário Alcides Muniz Gomes de Matos Filho, após uma discussão entre médico e pai da criança. O bebê, que teve um afundamento no crânio, recebeu alta no domingo (10), após ficar 20 dias internado em duas unidades hospitalares em Fortaleza (CE).
Heitor recebeu alta médica do IJF (Instituto Doutor José Frota) e retornou ao Crato, sua cidade natal, no dia 10 de março. Ele foi agredido no dia 19 de fevereiro, passou por duas cirurgias e recebeu 43 pontos na cabeça.
A agressão ocorreu durante uma briga entre o pai da criança, que cobrava uma dívida de cerca de R$ 1 mil, e o médico. Alcides atirou uma pedra e acertou Heitor, que sofreu um traumatismo craniano. Quando o pai da criança se virou de costas para socorrer o filho, o médico o atingiu nas costas com uma paulada e, em seguida, desferiu-lhe um choque de taser elétrico.
De acordo com os médicos que atenderam Heitor, um dos ossos da cabeça perfurou o cérebro, resultando em coágulo e sangramento. A mãe da criança, Ana Cláudia Jesuíno, relata os momentos de angústia vividos pela família. Segundo ela, o bebê “sentia muitas dores, chorava bastante e ficou todo esse tempo a base de remédios”.
Alcides foi preso no dia 28 de fevereiro e ficou recolhido na Penitenciária Regional do Cariri (Pirc), mas obteve um alvará de soltura por determinação do desembargador Durval Aires Filho, do TJ-CE (Tribunal de Justiça do Ceará), logo em seguida, na terça-feira de Carnaval.
No mesmo dia em que Heitor recebeu alta, o médico foi detido novamente. Ele estava em Juazeiro do Norte, almoçando em um restaurante com mulher e filhos, quando foi abordado pela polícia por descumprir medida cautelar. A defesa de Alcides alega que ele não descumpriu a lei e aguarda audiência de definição das determinações da medida.

com informações do portal G1