terça-feira, 9 de julho de 2019

Em primeiro áudio vazado, Dallagnol comemora proibição de entrevista de Lula

Em primeiro áudio divulgado pelo Intercept Brasil, Deltan Dallagnol comemora liminar de Fux proibindo entrevista de Lula (Foto: HEULER ANDREY/AFP/Getty Images)
Foto: HEULER ANDREY/AFP/Getty Images
No primeiro áudio vazado do grupo da Lava Jato no Telegram, o procurador Deltan Dallagnol comemora uma liminar do ministro do STF Luiz Fux que proibia o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de conceder uma entrevista. O arquivo foi divulgado pelo site The Intercept Brasil nesta terça-feira (9).
Datado de setembro de 2018, os participantes do grupo reclamavam da decisão de Ricardo Lewandoski, também do Supremo, ao autorizar Lula, preso em Curitiba, a conceder uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.
Após procuradoras chamarem os envolvidos de "mafiosos", Deltan apazigua os ânimos com a informação da liminar de Fux:
 
“Agora, não vamo alardear isso aí. Não vamo falar pra ninguém. Vamos ficar quieto para evitar a divulgação o quanto for possível. Porque quanto antes divulgar isso, antes vai ter recurso do outro lado, antes isso aí vai para plenário. O pessoal pediu pra gente não comentar publicamente e deixar que a notícia surja por outros canais. Pra não precipitar recurso de quem é...Tem uma posição contrária à nossa. Mas a notícia é boa, para terminar bem a semana”
Ouça o áudio na íntegra:

In Fux we Trust

Em mensagens vazadas previamente, o então juiz federal Sergio Moro e Dallagnol já haviam conversado sobre a aproximação de Sergio Fux na Lava Jato. “Disse para contarmos com ele para o que precisarmos, mais uma vez", relatou Deltan a Moro.

“Vem muito mais por aí”

Em entrevista exclusiva ao Yahoo, o jornalista Glenn Greenwald afirmou que os conteúdos divulgados até então eram “apenas o começo”.
Moro não pode dizer que a reputação dele foi destruída. Mas a aprovação dele caiu dez pontos e ainda vem muito mais coisa por aí, a máscara dele [Moro] vai ser derrubada”, afirmou o jornalista na oportunidade.