terça-feira, 9 de julho de 2019

Fla aguarda Governo do Rio para dar sequência ao projeto para "ampliar" o Maracanã

Foto: SERGIO BARZAGHI/Gazeta Press
O Flamengo ainda aguarda uma posição do Governo do Rio de Janeiro para dar sequência ao projeto de retirada das cadeiras dos setores norte e sul do Maracanã, com o objetivo de ampliar a capacidade do estádio.
O Rubro-Negro e o Fluminense assumiram, em abril, a administração do estádio por 180 dias, podendo ter o prazo prorrogado pelo mesmo período, antes da abertura de uma nova licitação. Até o fechamento da reportagem, a nova diretoria do Tricolor não se manifestou sobre o assunto. Não existe um prazo para a resposta final sobre a retirada dos assentos.
A ideia do Flamengo é retirar os assentos que ficam atrás de cada gol para transformar estas áreas em espaços populares. As arenas do Grêmio e do Corinthians também possuem um local sem cadeiras.
No passado, o Maracanã recebeu cerca de 200 mil torcedores, na final da Copa de 1950. Após uma série de transformações, sendo a última para o Mundial de 2014, a capacidade do estádio caiu para 78 mil pessoas.
Quando o estádio ainda era administrado pelo Consórcio Maracanã e Eduardo Bandeira de Mello o presidente do Flamengo, o clube da Gávea também chegou a propor a retirar das cadeiras dos setores norte e sol, para devolver cerca de 22 mil lugares ao público. Esta mudança elevaria a capacidade do espaço para 100 mil pessoas.
O pedido não foi aprovado naquele momento, já que o estádio precisaria se manter com todos os assentos para a disputa da Copa América deste ano. Com o fim da competição, o assunto voltará a ser discutido entre os clubes e o Governo do Rio de Janeiro.
com informações de yahoonotícias