quarta-feira, 10 de julho de 2019

Parnamirim vai ganhar central de monitoramento com alta tecnologia


O parnamirinense vai ganhar no próximo dia 17 de julho uma Central de Monitoramento integrada e totalmente equipada com alta tecnologia. O equipamento que está em fase de acabamento conta com orçamento na casa de R$ 1,5 milhão  trará mais segurança para a população. 

A unidade funcionará de maneira integrada ao Centro Integrado de Operações da Segurança Pública (CIOSP), através do 190. De acordo com Dario Medeiros, Secretário Adjunto do Grupo de Ciência, Tecnologia de Informação e Inovação (GCTI), que juntamente com a Secretaria de Segurança (SESDEM) desenvolveu o equipamento, essa parceria vai permitir mais agilidade no combate à criminalidade. 
 
“Ao serem acionados, através do Ciosp, os operadores de segurança que atuarão na Central de Parnamirim poderão identificar, em tempo real, através das câmeras de monitoramento, a situação crime, podendo a partir daí deslocar a viatura policial mais próxima plotada e visualizada em tempo rea,. sua localização”, explicou o Secretário.
 
Em termos técnicos, central contará com oito telas de 55 polegadas cada, formando um grande painel de mais de cinco metros de comprimento. Nele serão reproduzidas as imagens captadas por câmeras distribuídas em 23 pontos de monitoramento, com um raio de até 500 metros de cobertura em cada um deles. 
 
Atualmente a área de cobertura da Central do Monitoramento inclui os bairros do Centro, Boa Esperança, Cohabinal, Monte Castelo, Passagem de Areia, Santos Reis e Rosa dos Ventos, cobrindo entradas e saídas dos bairros, praças, avenidas e mercados públicos. Além disso, a SESDEM e o GCTI, já estão trabalhando para ampliar o raio de cobertura. 

A rede de monitoramento de Parnamirim conta atualmente com mais de 30 quilômetros de fibra ótica, armazenamento de dados com capacidade de 96 terabytes e todas as imagens são reproduzidas em resolução de até 4k. 

Além disso, as câmeras possuem tecnologia de identificação em tempo real de placas e de rostos, permitindo o máximo de aproximação de imagem sem perda da qualidade do foco. Os equipamentos permitem ainda, o disparo de alertas para casos de pessoas que estejam portando objetos suspeitos, orientando se podem ser armas como também volumes suspeitos abandonados que podem vir a ser mesmo material explosivo, por exemplo.