terça-feira, 10 de setembro de 2019

Depois de falar bosta: Carlos Bolsonaro pede licença da Câmara de Vereadores do Rio



Foto: Sergio Lima / AFP


O vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), pediu licença não remunerada das suas atividades na Câmara de Vereadores. O pedido foi feito na última sexta-feira (6), mas só foi publicado no Diário Oficial nesta terça-feira (10).

O parlamentar enviou ofício ao presidente da Câmara Municipal do Rio, Jorge Felippe, se baseando apenas no artigo 11, inciso I, do Regimento Interno da Câmara, que versa sobre afastamento para "tratar de assuntos particulares" em um período que não pode ultrapassar 120 dias por sessão legislativa.


Na noite de segunda-feira, Carlos escreveu em seu perfil no Twitter que, por "vias democráticas", não haverá as mudanças rápidas desejadas no país.

"Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!", escreveu Carlos.

Ainda no fim da noite desta segunda, o presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, reagiu às afirmações do vereador Carlos e declarou que “não há como aceitar uma família de ditadores”. Em depoimento ao jornal Folha de São Paulo, Santa Cruz disse que “É hora dos democratas do Brasil darem um basta. Chega”.

Apontado como responsável pela estratégia do presidente nas redes sociais, Carlos provocou turbulências no primeiro semestre após ataques a integrantes do governo do pai, mas vinha evitando polêmicas nos últimos meses.

com informações de yahoonotícias