quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Representante do movimento LGBTI+ nega acusações de incitar ataques a sede do PSL em Natal

O representante e organizador da 21ª Parada do Orgulho LGBTI+, Wilson Dantas, negou que o movimento tenha estimulado atos de vandalismo contra a sede do diretório estadual do Partido Social Liberal (PSL) em Natal, no último domingo, 27.

De acordo com Wilson, a acusação do presidente da sigla no estado, o coronel-aviador Hélio Oliveira, é “absurda” e ele considera como “oportunismo político”, devido a acreditar que os membros do PSL tenham insatisfação com estes tipos de movimentos.

“Se foram duas pessoas que apedrejaram, eles que respondam criminalmente, não a Parada. O integrante do PSL nos acusa desse absurdo e deixo claro que não pactuamos com nenhum ato agressivo, nem de vandalismo. Infelizmente isto é oportunismo político. Eles não ficam satisfeitos quando saímos as ruas”, contou.

Wilson Dantas afirmou que o movimento irá entrar com ações legais contra as acusações feitas pelo presidente do PSL. Para o representante do movimento LGBTI+, o foco da legenda deveria ser a organização interna.

“Vamos acionar nossos advogados, com relação a estas acusações, para que provem que incitamos essas depredações. Primeiramente eles deveriam arrumar a casa deles e perceber que a sociedade não está satisfeita com este governo”, relatou.

com informações do agorarn.com