sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Ibovespa cai e dólar vai a R$ 4,14 com 'fator Lula'

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli
O Ibovespa opera em baixa na sessão desta sexta-feira (8), sob forte influência de um clima mais deteriorado para ativos de risco no exterior, após notícias de que as negociações comerciais entre China e Estados Unidos não estariam caminhando tão bem quanto o esperado.

Perto das 13h30, o Ibovespa cedia 0,76%, aos 108.750 pontos. Na mínima, o índice foi aos 108.064 pontos. O giro financeiro é intenso, em R$ 5,5 bilhões nesta tarde.


A incerteza sobre o destino das tratativas entre as duas maiores economias do mundo mantém os mercados globais em alerta, provocando uma onda de aversão ao risco. Informações contraditórias colocaram sob suspeita o avanço das negociações e uma provável assinatura de um acordo “fase 1”.

Na dúvida sobre o avanço das negociações comerciais dos Estados Unidos e China, os investidores preferem manter cautela e realizar lucros após uma série de recordes na bolsa nos últimos dias.

Também pesa sobre a bolsa o cenário local, depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a prisão após condenação em segunda instância, medida que resultou na libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Na liderança das perdas do índice hoje está CVC Brasil ON (-9,84%), que chegou a recuar mais de 10% em seu pior momento no pregão, após apresentar seu balanço. BRF ON (-2,50%) também tem baixa após divulgação de balanço.

Entre as poucas ações capazes de passar por valorização nesta sessão está a BR Distribuidora (2,74%), que liderou os ganhos do Ibovespa durante boa parte da manhã. A empresa lançou hoje seu plano de transformação organizacional, que estimula a demanda pelos papéis da companhia na bolsa. O plano prevê a criação de três diretorias e o desligamento de funcionários.
com informações de yahoonotícias