sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Semurb e Defesa Civil interditam duas casas e um muro em situação de risco

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), junto com a Defesa Civil de Natal, interditaram na última quarta-feira (06/11), duas casas e um muro de um condomínio, que estão em situação de risco, localizadas em Neópolis, na zona Sul de Natal.


A vistoria realizada pelos órgãos foi para constatar o risco de queda do muro. Na fiscalização, foi constatado que o muro de um condomínio está vulnerável e pode cair em função de ligações clandestinas de três casas, que ocupam o leito da Rua Minas Nova, em Neópolis. O local foi invadido por moradores em 2006, que construíram as casas de forma irregular.


De acordo com o supervisor de Água e Solo (SPASO) da Semurb, Gustavo Szilagyi, a área não é atendida pela rede pública de saneamento, e os moradores despejam o esgoto a céu aberto, e correm junto ao muro lateral do condomínio. Dessa maneira, ele se infiltra no solo e carreia a areia para junto do muro, fazendo com ele fique inclinado. 

Com isso, o muro começou a tombar e só não cedeu porque um poste da rede elétrica do condomínio está sustentando. Diante disso, a Semurb notificou um dos moradores a remover todo o material depositado no leito da rua e a fazer a manutenção da fossa/sumidouro para que o esgoto não venha a extravasar novamente.


Segundo ele a fiscalização foi conjunta com a Defesa Civil, que interditou as casas e toda a área útil do condomínio próxima ao muro. Há um risco, porque “caso o muro não suporte e venha a ceder, o conjunto de casas construídas de forma irregular pode vir a cair sobre o bloco de apartamentos e poderá ocorrer um desastre em efeito dominó”, alertou Gustavo. O Condomínio Porto Grecco, está localizado na Rua Letícia Garcia, em Neópolis e está com suas licenças em dia, informou ele.


Além disso, as Secretarias de Trabalho e Ação Social (Semtas) e de Habitação e Projetos Estruturantes (Seharpe) também serão notificados sobre a situação para que tomem conhecimento e possam fazer as ações necessárias junto aos moradores, antes da chegada do período chuvoso. Mesmo com a interdição, os moradores ainda permanecem no local, porém a situação das duas casas, são consideradas críticas, pois várias rachaduras estão espalhadas por dentro do imóvel.