terça-feira, 19 de novembro de 2019

SP é o único estado com queda no desemprego no 3º tri, diz IBGE

Desemprego registra taxa de 11,8% no país

A taxa de desocupação de São Paulo foi a única que recuou entre os estados, caindo para 12% no terceiro trimestre de 2019 (de julho, agosto e setembro), após registrar 12,8% no segundo trimestre, segundo a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral), divulgada nesta terça-feira (19) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

A analista da pesquisa, Adriana Beringuy, afirma que o resultado de São Paulo foi influenciado pela diminuição em 217 mil pessoas na população desocupada no período. "A redução do desemprego veio mais pela redução do número de desocupados do que por expansão da ocupação”, afirma. 

Das 27 unidades da federação, houve aumento do desemprego apenas em Rondônia, que atingiu taxa de 8,2%. A taxa ficou estável nos outros 25 estados do país. 
As maiores taxas de descupação foram observadas na Bahia (16,8%), Amapá (16,7%), e Pernambuco (15,8%) e as menores em Santa Catarina (5,8%), Mato Grosso do Sul (7,5%) e Mato Grosso (8%).
Desemprego no Brasil 
A taxa de desocupação no país foi de 11,8% no terceiro trimestre, com estabilidade em relação ao mesmo período do ano passado (11,9%). Houve uma pequena redução frente ao trimestre anterior de 2019, quando a taxa foi de 12%. 
Segundo a pesquisa, 46,9% dos desocupados estavam de um mês a menos de um ano em busca de trabalho e 25,2% há dois anos ou mais. 

A taxa de subutilização da força de trabalho, que inclui o percentual de pessoas desocupadas, subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas e na força de trabalho potencial em relação a força de trabalho ampliada, foi de 24%.

Maranhão (41,6%) e Piauí (41,1%) apresentam estimativas acima de 40%. Por outro lado, os estados onde foram observadas as menores taxas foram: Santa Catarina (10,6%), Mato Grosso (14,7%), Rio Grande do Sul (16,3%) e Mato Grosso do Sul (16,3%).
No terceiro trimestre, o número de desalentados, ou seja, brasileiros que desistiram de buscar emprego, chegou a 4,7 milhões de 14 anos ou mais. Os maiores contingentes estavam na Bahia (781 mil) e no Maranhão (592 mil) e os menores em Roraima (17 mil) e Amapá (19 mil).

Perfil do desempregado
A pesquisa do IBGE aponta que pretos e pardos representam quase dois terços dos desempregados no país. 

A taxa de desocupação das mulheres foi 39% maior que a dos homens.  A taxa de desocupação das mulheres das regiões Norte (15,1%) e Nordeste (16,7%) apresentaram as estimativas mais elevadas e a do Sul (9,8%), a mais baixa.
“A mulher nordestina tem a menor taxa de ocupação (38%), que representa 74% da taxa de ocupação da mulher do Centro Oeste (50,9%), a mais alta”, destacou Adriana.

com informações do R7.com