segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Absurdo !!! Homem atira em vizinho três vezes: 'viado tem que morrer'

O contador Rafael Dias precisou passar por uma cirurgia após ser baleado (Foto: Reprodução)

Um homem atirou três vezes contra um vizinho no centro de São Paulo no último domingo (22). Amigos da vítima e outras testemunhas afirmam que, antes e depois de atirar, o autor dos disparos fez insultos homofóbicos.


O aposentado Adel Abdo, de 89 anos, foi preso em flagrante no bairro República, no centro da capital paulista. As agressões teriam começado no sábado, quando a vítima deu uma festa em seu prédio. Abdo teria ameaçado "meter bala" nos convidados, e dito que "viado tinha que morrer" e que não queria "gay no prédio dele".


O aposentado ficou esperando os convidados na entrada do prédio no domingo (22). Quando viu o seu vizinho, o contador Rafael Dias, atirou três vezes contra o rapaz de 33 anos. Quando a Polícia Militar chegou ao local, o aposentado confessou o crime e entregou um revólver calibre 22.

Rafael foi atingido no rosto por um dos projéteis. Após ser socorrido, ele foi levado até a Santa Casa de Misericórdia da capital paulista, onde foi operado. Depois da cirurgia, seu quadro de saúde é considerado estável.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio no 2º DP Bom Retiro. José Beraldo, advogado da vítima, defende que o crime também seja investigado como homofobia. De acordo com decisão do Supremo Tribunal Federal, essa classificação pode aumentar a punição em até três anos de prisão ou multa.
Quem estava presente na festa concorda que o ataque teve teor homofóbico.
"Para ser sincero, a confusão só começou porque era uma festa com pessoas gays", relata ao UOL Igor Fernandes, amigo da vítima.
Em audiência de custódia, um juiz decidiu não converter a prisão em flagrante em preventiva. Adel Abdo foi liberado e precisará manter distância da família da vítima, não portar armas, manter endereço fixo e acatar ordem da Justiça para prestar depoimento.