quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Começou o figth: Doria diz que atitude de Bolsonaro sobre combustível é populista e pouco responsável

Foto: Greg Salibian/Folhapress
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta quarta-feira (5) que a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação ao preço dos combustíveis é populista e pouco responsável.

"Se o presidente Jair Bolsonaro convidar os governadores  para um diálogo franco, aberto, tecnicamente robusto, os governadores, provavelmente, aceitarão este diálogo. Mas a imposição aos governadores dos estados brasileiros de que cabe a eles a responsabilidade da redução do ICMS e, consequentemente, do combustível, é uma atitude populista e, ao meu ver, pouco responsável", afirmou Doria.

Horas antes, Bolsonaro havia feito a provocação, mais um capítulo da escalada de tensão com os governadores. "Eu zero o [imposto] federal se eles zerarem o ICMS. Está feito o desafio aqui agora. Eu zero o federal hoje, eles zeram o ICMS. Se topar, eu aceito. Tá ok?", disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada. 

"Se o presidente está tão entusiasmado, tão motivado, ele que faça o primeiro gesto. Elimine os impostos sobre o combustível e aí, sim, os governadores vão avaliar o tema do ICMS", rebateu o governador paulista.

O presidente tem protagonizado uma queda de braço com os governadores sobre o preço da gasolina. Bolsonaro se queixa que, mesmo com reduções dos preços nas refinarias, o valor dos combustíveis não tem baixado para os consumidores.

João Doria disse que o presidente não tem tratado o assunto com seriedade e responsabilidade.
"Não parece o caminho do presidente Jair Bolsonaro. Isso não pode ser tratado nem de forma irresponsável nem de forma açodada. É preciso ter um entendimento. [...] Os governadores não foram convidados para nenhuma conversa com o presidente da República neste sentido. 

Não houve isso. Uma prova está de que não há interesse no entendimento. E, na base da bravata, bravata me lembra populismo, populismo me lembra algo ruim para o Brasil", afirmou o governador de São Paulo.

Ainda fazendo críticas diretas a Bolsonaro, Doria criticou o modo de governar do presidente. "Entendimento se faz reunindo, agrupando. Não se faz por Whatsapp. Não conheço governo por Whatsapp."
com informações de yahoonotícias