quarta-feira, 29 de abril de 2020

Oito presídios do RN recebem aparelhos de scanner corporal

| |

Oito unidades prisionais do Rio Grande do Norte estão mais seguras com a instalação, esta semana, de aparelhos de scanner corporal por raios X, também conhecidos como “Body Scan”, que permitem a detecção de objetos proibidos na entrada das visitas. Os equipamentos, de última geração, evitam abordagens invasivas e agilizam a revista dos visitantes. Com a nova ferramenta de tecnologia, a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) atinge 16 das 17 unidades prisionais do Estado equipadas com o “Body Scan”.

Os aparelhos instalados esta semana foram doados pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e somam-se a outros em uso desde meados de 2019 através de convênio do Governo do Estado. As unidades comtempladas agora são Complexo João Chaves, em Natal, Penitenciária Estadual de Parnamirim, Complexo Penal de Pau dos Ferros, Centro de Detenção Provisória de Apodi, Cadeia Pública de Caraúbas, Cadeia Pública de Nova Cruz, Cadeia Pública de Ceará-Mirim e Complexo Agrícola Doutor Mário Negócio, em Mossoró. Apenas a Unidade Psiquiátrica de Custódia e Tratamento, em Natal, não teve demanda para instalação do equipamento. 

Os policiais penais estão passando por treinamento de manuseio do equipamento e, assim que as visitas no sistema prisional forem retomadas, uma vez que estão suspensas por causa da prevenção ao novo coronavírus, irão iniciar o processo de coleta e cadastramento da biometria dos visitantes. 
Segundo o secretario da Administração Penitenciária, Pedro Florêncio Filho, com a utilização do scanner corporal os servidores e as visitas passam a ter um tratamento mais digno, evitando a revista intima vexatória e diminuindo as filas. 


O “Body Scan” não oferece risco aos servidores e visitantes. O equipamento é capaz de localizar objetos sob as vestes e no interior do corpo. Dessa forma, se evita a revista intima, um procedimento que era necessário, mas que causava demora e constrangimento tanto para a visita, quanto para o policial penal.