quarta-feira, 27 de maio de 2020

Governo de SP anuncia reabertura do comércio a partir de 1º de junho

| |
O governador João Doria anunciou, nesta quarta, o plano de reabertura do comércio em São Paulo.
O governo de São Paulo apresentou, nesta quarta-feira (27), um plano para retomada gradual das atividades comerciais, paralisadas por conta das medidas de isolamento social contra a pandemia do novo coronavírus. A abertura gradual do comércio está marcada para o dia 1º de junho e a 1ª etapa deverá durar até o dia 15 do mesmo mês, segundo anunciou o governador João Doria (PSDB).

“Hoje é um dia particularmente importante para São Paulo e para os 46 milhões de brasileiros que vivem em São Paulo. Estamos anunciando a retomada consciente das atividades comerciais a partir do dia 1 de junho. Por 15 dias, manteremos quarentena em vigor, porém com uma retomada consciente de atividades econômicas no estado”, anunciou Doria, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Antes de detalhar o plano, o tucano fez uma retrospectiva da luta contra a Covid-19 no estado, desde o anúncio da decretação de pandemia mundial pela OMS (Organização Mundial de Saúde) no dia 11 de março. Doria também fez questão de enumerar as medidas tomadas por seu governo durante esse período, relembrando a abertura de leitos, construção de hospitais de campanha, antecipação de feriados e outras ações.

“O vírus afetou fortemente a economia do Brasil e, obviamente, a economia do estado de São Paulo, que é a federação que lidera a economia do país. Com base na ciência, estudo e planejamento, São Paulo decidiu manter 74% dos setores econômicos funcionando com as medidas necessárias para proteger seus funcionários, colaboradores, fornecedores e clientes”, completou ele.

O PLANO “RETOMADA CONSCIENTE”

Serão cinco etapas previstas no plano. A princípio, no plano anunciado no dia 22 de abril, eram quatro fases, mas uma etapa foi acrescida, chamada de “normal controlado”, segundo explicou a secretária de Desenvolvimento Econônico, Patrícia Ellen.

FASE 1 - Alerta Máximo: Só funcionam serviços essenciais

FASE 2 - Controle: Fase de atenção, com eventuais liberações
FASE 3 - Flexibilização: Fase controloada com maior liberação das atividades
FASE 4 - Abertura Parcial: Fase descrescente, com menos restrições
FASE 5 - Normal Controlado: Fase de controle da doença, liberação de todas as atividades com protocolos
Os critétios de cálculo das fases levará em consideração dois critérios de Saúde (taxa de ocupação de leitos de UTI por infectados pela Covid-19; e número de leitos de UTI para 100 mil habitantes), e dois critérios de evolução da pandemia (número de casos, número de internações, e número de óbitos).
As medidas serão flexibilizadas, segundo Doria, naquelas cidades que apresentarem “redução consistente no número de casos, disponibilidade de leitos nos hospitais públicos e privados, e obedecerem as regras de isolamento social”.
Caso as cidades voltem a apresentar piora em um desses fatores, as etapas poderão ser retrocedidas e medidas de reabertura serão revistas. “Estaremos monitorando dia a dia a evolução do processo. Se tivermos que dar um passo atrás, se tivermos que retomar as medidas que estamos flexibilizando gradual, parcialmente ou de forma heterogênea, não hesitaremos em fazê-lo”, afirmou o governador.
com informações de yahoonotícias