quarta-feira, 27 de maio de 2020

Polícia Civil prende três suspeitos de confeccionarem identidades falsas

| |
Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (27), a Operação “Identidades”, que resultou na prisão de três homens suspeitos de confeccionarem cédulas de identidade ideologicamente falsas para criminosos foragidos da Justiça potiguar e de outros estados da Federação. Durante a Operação, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva.

Foram presos Roberto Alves Pereira dos Santos, 74 anos, (funcionário do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP/RN), Manoel Antônio da Costa Neto, conhecido como “Bel”, 47 anos e seu filho Breno Marcílio Gonçalves da Costa, 26 anos. As prisões aconteceram em Natal e Parnamirim.

A investigação, que teve a cooperação do ITEP/RN, durou um ano e descobriu que diversas pessoas que haviam sido autuadas pela DEICOR em outras investigações estavam de posse de cédulas de identidade em que o papel era verdadeiro, entretanto, os dados inseridos nos documentos eram falsos. Foi descoberto que existia no ID/ITEP, um prontuário com os dados falsos.

Além disso, a investigação descobriu que os investigados também confeccionam outros documentos como certidão de nascimento, CPF e reservista. Os interessados admitiram que pagavam valores que variavam de R$ 3 a R$ 10 mil. para obterem os documentos falsos. No que diz respeito à confecção das cédulas de identidade, os procedimentos de coleta de impressões digitais e recebimento dos documentos eram realizados na unidade do ID/ITEP, localizada na Central do Cidadão de um shopping da capital. 

Eles também relataram que não fizeram nenhum tipo de agendamento pela internet (procedimento obrigatório), tendo sido atendidos rapidamente, apesar do fluxo enorme de pessoas que aguardam pelo mesmo atendimento ofertado pela instituição.

Na casa de Roberto Alves, em Natal, foram encontradas várias identidades já confeccionadas, tinta e material para coleta de digitais, cópias de certidão de nascimento, a quantia de R$ 15 mil em espécie, várias folhas de cheques, além de um revólver calibre 38, com cinco munições intactas e um rifle calibre 44. Roberto Alves também foi autuado em flagrante delito por posse ilegal de arma de fogo. 

Durante o interrogatório, o funcionário do ITEP/RN confessou que há muitos anos tem a prática de confeccionar RG's para alguns conhecidos, desde que os interessados apresentassem uma cópia da certidão de nascimento. 

Na casa de Manoel Antônio e Marcílio, em um condomínio de luxo de Parnamirim,foram apreendidos cadernetas com anotações, aparelhos celulares e dois veículos. Os dois já foram presos pela Polícia Federal de Pernambuco, em 2019, acusados de falsificarem CPFs, tendo ficado presos no Estado, por mais de um ano.