sábado, 22 de agosto de 2020

PDT, PCdoB e PSOL elogiam fala de Lula sobre eleição de 2022; para presidente do PSB, 'acredita quem quiser'

| |
O aceno do ex-presidente Lula a uma possível apoio do PT a outro partido como cabeça de chapa nas eleições presidenciais de 2022 foi recebido com elogios e ceticismo entre outras siglas de esquerda, como PDT, PCdoB e PSOL, que vêem, ao menos no discurso, um aceno a uma frente ampla contra o presidente Jair Bolsonaro e uma "evolução" na visão estratégica do Partido dos Trabalhadores. Dirigentes petistas, porém, avaliaram que é precipitado considerar que houve uma inflexão do ex-presidente, enquanto o presidente do PSB, Carlos Siqueira, diz não acreditar numa mudança de Lula.
No Nordeste, Ciro Gomes diz que não visitaria Lula na prisão 'nem ...
Presidente do PDT, partido de Ciro Gomes, ex-ministro de Lula que concorreu contra Fernando Haddad (PT) em 2018, Carlos Lupi afirma que a fala do ex-presidente "é uma evolução" que demonstra "visão estratégica". Para quem sempre ouviu do PT que ou era o PT o rei da cocada ou não tinha cocada para ninguém, é uma evolução, é positivo — afirmou.

Questionado sobre as críticas de Lula pelo fato de Ciro não ter feito campanha ao lado de Haddad no segundo turno, Lupi afirma que o PDT foi maltratado pelo PT naquele pleito, vetando apoio político de outros partidos de esquerda, como o PSB, ao ex-governador cearense.

Nós reconhecemos essa força [política], reconhecemos que estrategicamente ele fez um jogo que foi positivo para ele e para o PT, mas não foi bom para o Brasil — disse, ao defender que Ciro teria mais chances de derrotar Bolsonaro no segundo turno. — Só querem demonstração de amor, mas, na hora que nós precisamos, nunca? Que relação bilateral é essa?

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), classificou como positiva a fala de Lula e ressalta que, mesmo sem encabeçar uma chapa, o apoio do PT é importante para uma eventual vitória da oposição em 2022.

Eu não vejo a possibilidade de ter um projeto progressista vitorioso sem o PT. Você não pode ser exclusivista no sentido de que só o PT resolve, mas você também não pode descartar o PT — defende, acrescentando que ainda falta "bastante tempo" para as eleições e que o "desenho definitivo [das candidaturas] está muito longe".

Presidente nacional do PSB, partido que já foi aliado mas vem se distanciando do PT, Carlos Siqueira acredita que a frase de Lula não passa de "retórica".

É contraditória com a fala que ele fez ao sair prisão (de que o PT precisaria ter o máximo de candidaturas próprias na eleição municipal deste ano) e com que está acontecendo hoje, que é a divisão da esquerda provocada pela postura exclusivista do PT. Acredite quem quiser nessa conversa porque a prática está demonstrando exatamente o inverso.

com informações de yahoonotícias