segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Caso João Alberto: novos vídeos indicam rixa entre seguranças e vítima

| |

 

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Novos vídeos do momento em que o soldador João Alberto Silveira Freitas, negro, de 40 anos, foi morto por seguranças do Carrefour do bairro Passo D’Areia, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, indicam que ele já conhecia os agressores. Numa das imagens, ele aparece ofegante e gemendo no chão quando um terceiro funcionário do supermercado se abaixa e diz: “A gente te avisou da outra vez”.

Mesmo quando já não se mexia, João Alberto foi mantido imobilizado por mais um minuto e meio, enquanto sua companheira, Milena Borges Alves, pedia que os seguranças Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, que também é policial militar, o soltassem para que ele pudesse respirar. A vítima morreu por asfixia. Os seguranças estão presos pelo crime. O advogado de Silva classificou o caso como “um acidente”.

As imagens foram gravadas por uma cliente do mercado e estão sendo analisadas pela Polícia Civil, que tenta elucidar o que gerou o cerco a João Alberto ainda nos caixas do estabelecimento, sua condução pelos seguranças até o estacionamento e o início das agressões. Em outro momento, o terceiro funcionário se aproxima de João Alberto agonizante e fala: “Aí, rapaz, sem cena, tá?”

Ao menos em um dos depoimentos há relato de que vítima e assassinos já se conheciam. É o que revela o testemunho da agente de fiscalização do Carrefour Adriana Alves Dutra. À polícia, ela afirmou que ouviu de uma funcionária da loja que já havia presenciado “atrito com fiscais” e João Alberto.

Com informações do Extra