quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

"Lockdown noturno": Governo de SP deve anunciar novas restrições em todo o estado nesta quarta(24)

| |

 

Workers stand inside a partially closed shop in the city of Buzios, a popular holiday destination in Brazil, Friday, Dec. 18, 2020. Due to the COVID-19 pandemic, this seaside town is going into full lockdown starting on Friday, tourists have been given 72 hours to leave and roadblocks will stop non-residents from entering. (AP Photo/Bruna Prado)
          Foto: AP Photo/Bruna Prado

O governo de São Paulo deve anunciar nesta quarta-feira (24), um “lockdown noturno” em todo o estado para tentar conter os avanços da Covid-19. O objetivo é reduzir internações, que chegaram nesta semana ao maior número desde o início da pandemia e inclui o fechamento de todo o comércio.

A proposta é fechar todos os comércios entre 22h e 5h e tem sido defendida por médicos e cientistas que fazem parte do Centro de Contingência da Covid-19. A decisão final deve ser anunciada pelo governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa nesta quarta.


De acordo com a revista Época, o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, João Gabbardo, disse na segunda-feira (22) que o grupo enviou ao governo do estado uma série de propostas para restringir a circulação de pessoas.

“São recomendações extraordinárias, além daquilo que está previsto no Plano São Paulo. O governo está fazendo a análise dessas recomendações, que obviamente tratam da redução da mobilidade, da redução da movimentação das pessoas, que é o que podemos fazer para reduzir a taxa de transmissibilidade”, disse Gabbardo.

Já o jornal O Globo afirmou que integrantes do Centro de Contingência contaram que o toque de recolher durante as madrugadas vem sendo discutido entre médicos e cientistas do grupo desde o início da pandemia — o aumento nas internações e a circulação de variantes da Covid-19 no estado justificam medidas mais restritivas.

Lockdown noturno

Não é a primeira vez que um “lockdown noturno” acontece em São Paulo. Em janeiro, o governo paulista determinou o fechamento de todas as atividades não essenciais no período noturno e aos finais de semana. A medida valia mesmo que uma região estivesse em uma fase menos restrita da quarentena.