terça-feira, 9 de março de 2021

Fátima acusa Álvaro de politizar pandemia e diz que prefeito de Natal ignora convites para diálogo

| |

 


Em mais um episódio de troca de farpas entre os dois principais gestores do Estado, a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), acusou nesta terça-feira 9 o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), de “politizar” as ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19. 

De acordo com ela, o gestor da capital tem ignorado sucessivos convites para dialogar sobre ações conjuntas na crise sanitária por motivações políticas.

 Em entrevista à TV Ponta Negra, Fátima Bezerra defendeu o que chamou de “pacto pela saúde e pela vida”, isto é, a união entre Governo do Estado e prefeituras nas medidas de combate ao novo coronavírus. Ela disse que tem convidado o prefeito de Natal para reuniões, mas que Álvaro Dias tem ignorado os convites. “Aqui tem um pacto em defesa da vida. Aqui tem diálogo sim. Agora, se tem um prefeito que não entende a gravidade do momento e fica querendo politizar esse assunto, paciência. É um equívoco grande que ele está cometendo.

 Eu tenho defendido um pacto em defesa da vida e da saúde”, disse, em referência a Álvaro Dias. Nos últimos dias, Prefeitura do Natal e Governo do Estado editaram decretos divergentes sobre o enfrentamento da pandemia. Enquanto Fátima determinou um toque de recolher integral aos domingos, Álvaro Dias autorizou o funcionamento de bares e restaurantes, o que causou atrito entre empresários e forças estaduais de segurança pública no fim de semana.

 Além disso, o prefeito de Natal autorizou alguns estabelecimentos comerciais a funcionarem depois das 20h nos dias da semana, o que também confronta o decreto estadual. “O prefeito de Natal não tem vindo para o diálogo. Ao longo de toda a pandemia, só participou de uma reunião, que foi em março do ano passado lá na Escola de Governo. 

Depois, uma na minha casa, que eu chamei aqui. Mas não é por falta de chamamento. Eu tenho no meu celular todas as mensagens que tenho enviado para o prefeito há 15 dias.

 Diálogo jamais tem faltado por parte do nosso governo, muito pelo contrário”, enfatizou Fátima Bezerra. A governadora sugeriu, ainda, que o prefeito tem adotado ações contrárias ao Governo do Estado por causa de motivações eleitoral, e se contrapôs à postura. “Não estou preocupada com eleição de amanhã ou depois de amanhã. 

Estou de prontidão para corresponder à confiança que o povo me deu, quando fui eleita governadora. É essa a missão que me cabe, e dela não me afastarei um só segundo”, destacou.

 Fátima reconheceu que tem adotado medidas impopulares, como um toque de recolher mais amplo, mas justificou as ações. “Não faço concessões ao populismo. Tomo decisões inclusive que, num primeiro momento, podem gerar insatisfações, são de caráter impopular. 

Mas eu não me movo por isso. Eu me movo por aquilo que eu tenho absoluta confiança, que é envidar esforços para dar ao povo do Rio Grande do Norte o direito de se proteger, cuidar da sua saúde e sobreviver”, concluiu. Em mais um episódio de troca de farpas entre os dois principais gestores do Estado, a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), acusou nesta terça-feira 9 o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), de “politizar” as ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19.

 De acordo com ela, o gestor da capital tem ignorado sucessivos convites para dialogar sobre ações conjuntas na crise sanitária por motivações políticas. Em entrevista à TV Ponta Negra, Fátima Bezerra defendeu o que chamou de “pacto pela saúde e pela vida”, isto é, a união entre Governo do Estado e prefeituras nas medidas de combate ao novo coronavírus. Ela disse que tem convidado o prefeito de Natal para reuniões, mas que Álvaro Dias tem ignorado os convites. “Aqui tem um pacto em defesa da vida.

 Aqui tem diálogo sim. Agora, se tem um prefeito que não entende a gravidade do momento e fica querendo politizar esse assunto, paciência. É um equívoco grande que ele está cometendo.

 Eu tenho defendido um pacto em defesa da vida e da saúde”, disse, em referência a Álvaro Dias. Nos últimos dias, Prefeitura do Natal e Governo do Estado editaram decretos divergentes sobre o enfrentamento da pandemia.

 Enquanto Fátima determinou um toque de recolher integral aos domingos, Álvaro Dias autorizou o funcionamento de bares e restaurantes, o que causou atrito entre empresários e forças estaduais de segurança pública no fim de semana.

 Além disso, o prefeito de Natal autorizou alguns estabelecimentos comerciais a funcionarem depois das 20h nos dias da semana, o que também confronta o decreto estadual. “O prefeito de Natal não tem vindo para o diálogo. 

Ao longo de toda a pandemia, só participou de uma reunião, que foi em março do ano passado lá na Escola de Governo. Depois, uma na minha casa, que eu chamei aqui. Mas não é por falta de chamamento. Eu tenho no meu celular todas as mensagens que tenho enviado para o prefeito há 15 dias. 

Diálogo jamais tem faltado por parte do nosso governo, muito pelo contrário”, enfatizou Fátima Bezerra. A governadora sugeriu, ainda, que o prefeito tem adotado ações contrárias ao Governo do Estado por causa de motivações eleitoral, e se contrapôs à postura. “Não estou preocupada com eleição de amanhã ou depois de amanhã. Estou de prontidão para corresponder à confiança que o povo me deu, quando fui eleita governadora.

 É essa a missão que me cabe, e dela não me afastarei um só segundo”, destacou. Fátima reconheceu que tem adotado medidas impopulares, como um toque de recolher mais amplo, mas justificou as ações. “Não faço concessões ao populismo. Tomo decisões inclusive que, num primeiro momento, podem gerar insatisfações, são de caráter impopular. 

Mas eu não me movo por isso. Eu me movo por aquilo que eu tenho absoluta confiança, que é envidar esforços para dar ao povo do Rio Grande do Norte o direito de se proteger, cuidar da sua saúde e sobreviver”, concluiu.


 com informações do agorarn.com