sexta-feira, 30 de julho de 2021

Semurb promove ação para conscientizar população sobre remoção de plantas exóticas do Parque da Cidade

| |

Neste sábado (31), uma ação de conscientização sobre a extração de árvores exóticas na área do Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, será realizada pelos educadores ambientais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). O objetivo é alertar aos visitantes e moradores do entorno do pórtico de Cidade Nova, na zona Oeste, sobre espécies exóticas que serão retiradas da unidade de conservação por trazerem riscos às demais espécies nativas.

O trabalho acontece durante toda a manhã, a partir das 8h30, com abordagem, entrega de material educativo sendo coordenada pelo Setor de Educação Ambiental e Biblioteconomia (SEAB) formado por tecnólogos ambientais, historiadores, geógrafos, arte educador, pedagogo e assistentes sociais.

A extração será de espécies exóticas invasoras, que causam riscos à flora da unidade de conservação. E para isso, é preciso previamente sensibilizar a população sobre os impactos negativos e o porquê da necessidade da retirada.

" O ato terá a mesma pegada do "Dia D" com um grande mobilização de conscientização para alertar à população sobre as Leucenas, que é uma espécie invasora no Parque da Cidade", diz o chefe da educação ambiental da Semurb, Daniel Henrique de Souza.

Serão três frentes de atuação dos agentes ambientais, a primeira delas com a fixação de cartazes educativos, a segunda com orientações aos visitantes que estejam transitando pelo Parque da Cidade e a terceira com intervenções porta a porta aos moradores do entorno da unidade de conservação da entrada do bairro de Cidade Nova.

A remoção ainda não tem data para acontecer, mas será executada pela secretaria de Serviços Urbanos (Semsur), que irá disponibilizar as máquinas e equipe.

Plantas exóticas

As espécies exóticas são plantas que estão fora da sua área de distribuição natural, ou seja, não são nativas ou naturais de um determinado ambiente. E que quando se tornam dominantes e, assim que completam sua adaptação, os impactos negativos causados por elas se agravam. "Sua invasão prejudica solos, pastagens e causa degradação de florestas", emenda.

Ele relata que um exemplo de planta exótica encontrada na área do Parque da Cidade é a Leucena. "Existente em alguns pontos da vegetação da unidade, a planta é considerada uma praga e sua presença traz riscos à biodiversidade local. Estando enquadrada como uma ameaça para a mata nativa do Parque, pois competem por espaço, chegando inclusive a matar a flora natural desse bioma", revela.

"A espécie exótica ainda causa o impacto visual, além de riscos às demais espécies nativas em todo o território do Parque. Por isso, estamos realizando uma série de ações desde o início de julho, dando intervenções, palestras e conversas aos visitantes do parque sobre a necessidade da extração e o risco à flora que a Leucena causa", finaliza o chefe do SEA.