quarta-feira, 11 de agosto de 2021

Flordelis tem mandato cassado pela Câmera dos Deputados

| |

A cassação exigia no mínimo 257 votos a favor – maioria absoluta dos deputados. Desde agosto de 2020, Flordelis é ré na 3ª Vara Criminal de Niterói, onde foi denunciada por ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo – ocorrido em junho de 2019.

O Conselho de Ética recomendou a cassação no começo de junho deste ano, por 16 x 1. Nessa ocasião, apenas o bolsonarista Márcio Labre (PSL-RJ) votou contra.

Em seu parecer, o deputado Alexandre Leite (DEM-SP) afirmou que Flordelis é a única pessoa do caso “que detinha as condições materiais para financiar a compra da arma de fogo [usada no crime]”.

“Mais grave, a REPRESENTADA se utiliza de seu cargo para deliberadamente tentar subjugar seus filhos, notadamente SIMONE, LUCAS e MISAEL, utilizando o acesso da mídia que seu cargo lhe proporciona para, de toda forma, transferir a eles sua responsabilidade”, escreveu Leite.

A deputada recorreu à CCJ, mas foi derrotada de novo, em julho, por 47 x 0.

Arthur Lira mudou o regulamento, levando ao plenário hoje um projeto de resolução em vez do parecer votado no Conselho de Ética. O texto poderia ser modificado para Flordelis sofrer uma pena menor. No entanto, nenhum deputado apresentou uma emenda – para ser colocada em votação, a emenda precisaria reunir ao menos 103 assinaturas.

Em 2018, Flordelis foi a quinta candidata a deputada federal mais votada no Rio de Janeiro, com mais de 196 mil votos.