terça-feira, 5 de outubro de 2021

CPI da Covid: depoimento de empresário é adiado, ele é acusado de receber R$400 mil

| |

O advogado do empresário Carlos Kerbes, acusado de ter sido beneficiado com R$ 400 mil do suposto desvio de verbas do Consórcio Nordeste na compra de respiradores durante a pandemia de Covid-19, pediu adiamento do depoimento que seu cliente prestaria nesta quarta-feira (06), em Natal, na CPI da Covid da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

Carlos Kerbes foi convocado pela CPI para esclarecer fatos a compra frustrada de 300 respiradores pelo Consórcio. No auge da pandemia de Covid-19, estados do Nordeste, entre os quais o Rio Grande do Norte, pagaram antecipadamente R$ 48 milhões pelos equipamentos, mas até hoje, os ventiladores não chegaram e a empresa não devolveu o dinheiro. O RN foi prejudicado em quase R$ 5 milhões.

Segundo o presidente da CPI, deputado estadual Kelps Lima (Solidariedade), Kerbes é suspeito de ter recebido R$ 400 mil do dinheiro para destravar o negócio. “Nesta terça-feira (05), o advogado constituído por Kerbes requereu o adiamento do depoimento, pois, por um conflito de agendas, deverá comparecer presencialmente, neste mesmo dia, a uma audiência da Justiça em Salvador”, enfatizou o parlamentar.

Kelps declarou que o pedido de Kerbes foi acatado pela CPI. “O pedido foi atendido pela Presidência da CPI, porque os princípios da ampla defesa e do contraditório são regras absolutas desta Comissão, e o acompanhamento por advogado é situação que respeita a Constituição, garantindo, assim, a lisura do processo e da própria Comissão”, finalizou.

Decide TJ que Gabas poderá ficar em silêncio

Atendendo a um pedido de Gabas, o desembargador João Rebouças, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), concedeu habeas corpus preventivo nesta terça-feira (05) e deu ao secretário-executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, o direito de permanecer em silêncio na CPI da Covid-19 na Assembleia Legislativa. O depoimento dele está marcado para esta quarta-feira (06), às 14h, e também vai tratar da compra de respiradores.

O secretário-executivo do Consórcio Nordeste havia pedido para ser dispensado do depoimento ou o direito a ficar em silêncio para não produzir provas contra si.