quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Secretário do Consórcio Nordeste fica em silêncio para poupar "os companheiros"

| |

O depoimento do secretário-executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, à CPI da Covid no Rio Grande do Norte terminou nesta quarta-feira (06), apenas 20 minutos depois de começar. A saída do depoente aconteceu logo após ele informar aos deputados estaduais que não iria responder a nenhuma pergunta, independente do teor.

“Não responderei a nenhuma pergunta e exercerei meu direito ao silêncio conforme decisão do Tribunal de Justiça”, disse Gabas, ao responder um questionamento feito pelo relator da CPI, deputado Francisco do PT.

Diante da negativa de Gabas a responder qualquer questionamento, o presidente da CPI, deputado Kelps Lima (Solidariedade), informou que Gabas poderia se ausentar. Após conversar com seu advogado, o secretário do Consórcio Nordeste deixou o local.

Decisão

Na terça (05), o desembargador João Rebouças, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), concedeu habeas corpus preventivo e deu a Gabas o direito de permanecer em silêncio na CPI da Covid-19 na Assembleia. Ele é investigado pela CPI por envolvimento na compra frustrada de 300 respiradores. No auge da pandemia de Covid-19, estados do Nordeste, entre os quais o RN, pagaram antecipadamente R$ 48 milhões pelos equipamentos, mas até hoje, os ventiladores não chegaram e a empresa não devolveu o dinheiro.