quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Em Natal, ministro Anderson Torres participa da inauguração da Central Integrada de Gerenciamento Operacional do Sistema Penitenciário

| |

Nesta quinta-feira (11), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, inaugurou a Central Integrada de Gerenciamento Operacional do Sistema Penitenciário (CIGOSPen), em Natal (RN). O projeto contempla as unidades prisionais do estado com equipamentos de segurança, como câmeras com reconhecimento facial e insumos para coleta de material genético, com investimento de R$ 9,5 milhões do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), administrado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

A ação faz parte do compromisso de constante aprimoramento do sistema prisional e o Rio Grande do Norte (RN) é pioneiro no uso dessa tecnologia. "É um marco para o sistema penitenciário. Nós, que lidamos diariamente com segurança pública precisamos ter um olhar especial para essa questão. Nós temos auxiliado os estados e estamos buscando implementar políticas públicas voltadas para resolver problemas do sistema penitenciário brasileiro. Esse é um modelo que queremos espalhar em todo o país", disse o ministro Anderson Torres.



A CIGOSPen abrigará a Central de Rádio e Videomonitoramento (CRV), a Central de Monitoramento Eletrônico (CEME) e um posto de atendimento para realizar a coleta de biometria e material genético. Há dois anos, o sistema prisional do estado contava com apenas 160 câmeras e, hoje, passa a ter 1400 novas câmeras que possuem inteligência artificial para contagem de pessoas; reconhecimento facial; leitura de placas; linhas inteligentes de perímetro; detecção de movimento; imagens em infravermelho (noturna); controles de acesso; entre outras funções.

A diretora-geral do Depen, Tânia Fogaça, ressaltou que "aparelhar o Sistema é investir na qualidade do trabalho e valorizar os servidores e todos os colaboradores que nele atuam. É garantir direitos aos custodiados e favorecer a atuação de órgãos e instituições de Execução Penal e o investimento federal tem se mostrado essencial para a efetivação das ações".

Entregas

Os recursos utilizados para construção da Central fazem parte de um convênio no valor total de R$ 20 milhões do Depen com o Rio Grande do Norte. Os valores foram disponibilizados para modernização do sistema penitenciário potiguar e incluem compra também de 42 escudos balísticos, 50 carabinas 5.56m, 14 caminhonetes cabine dupla, 1 caminhão baú, equipamentos eletrônicos, como 114 computadores e 26 notebooks, entre outros.