quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Pane e odor: câmaras frigoríficas do Itep-RN quebram, o devido funcionamento está previsto para este sábado (13)

| |

Duas das três câmaras frigoríficas do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN) apresentaram problemas na segunda-feira (08) e deixaram de funcionar. A pane obrigou que o instituto transferisse os corpos que estavam nessas câmaras para a única que ficou funcionando.

A movimentação de cadáveres aliada com o odor das próprias câmaras fez com que um odor muito forte se espalhasse pelo prédio e até por ruas próximas no bairro da Ribeira, na zona Leste de Natal. A situação agravou ainda o aparecimento de insetos.

Em nota, o Itep informou que já solucionou o problema do mau cheio e trabalha no conserto dos equipamentos. "Foi finalizada a limpeza das duas câmaras que estavam com problema e o odor que vinha sendo sentido foi solucionado, Os equipamentos devem entrar em funcionamento normal até sábado (13)", apontou.

Ainda de acordo com o instituto, nenhum corpo ficou fora da câmara "ou se decompondo no Itep". O texto explica ainda que a permanência dos corpos no local é curta.

"A maioria dos corpos deixa o Itep no mesmo dia em que chega e que os que permanecem são de situações específicas, como os não identificados, os que permanecem para solução de crimes ou por decisão judicial. O prazo máximo para permanência de um corpo na câmara frigorífica, sem qualquer decisão judicial contrária, é de 30 dias, segundo portaria", esclareceu.

O problema só deve ser resolvido com a mudança de prédio. No entanto, a inauguração da nova sede do Itep está prevista apenas para o final de 2022, com investimento de R$ 17,8 milhões.

"A solução definitiva desse problema se dará apenas com a mudança de prédio, já que o atual, por ser antigo, não apresenta estrutura ideal para alguns equipamentos", finalizou.

Com informações de: portaldatropical