segunda-feira, 27 de dezembro de 2021

Prefeitura encerra tamponamentos de ligações clandestinas no Conjunto Cidade do Sol localizado em Igapó

| |
Foto: Divulgação/Semurb

Iniciada em maio deste ano, a operação de tamponamento das ligações clandestinas de esgotos no Conjunto Cidade do Sol, no bairro de Igapó, zona Norte da capital foi encerrada pelas equipes da secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) na manhã desta segunda-feira (27). Apenas um morador que insistia na infração foi autuado e recebeu multa grave que pode variar de R$ 2.149 a R$8 mil reais e teve quatro tampões instalados em casas de sua propriedade.

Antes de iniciar os tamponamentos, as equipes da Semurb realizaram a verificação de todas as ruas do conjunto nas quais os proprietários já haviam sido notificados a paralisar voluntariamente o despejo dos efluentes. "A operação é cumprimento de decisão judicial, ao todo foram 108 residências notificadas pela fiscalização e tiveram seus lançamentos irregulares de efluentes encerrados", diz o supervisor de fiscalização de água e solo, Gustavo Szilagyi.

Ele também explica que a primeira fase da operação, iniciada em maio, consistiu no levantamento e identificação do problema com o diagnóstico realizado pelas equipes em todas as ruas da comunidade. Já a segunda, foi a notificação dos moradores que promoviam o lançamento de água servida e durou cerca de três meses. E por fim a fase três iniciada no dia 22 de outubro e encerrada nesta segunda (27) foi a vedação das tubulações, chamada de tamponamento.

A partir de agora, a fiscalização vai continuar o trabalho realizando o monitoramento periódico nas ruas da localidade para verificar se algum morador decidiu lançar efluentes de maneira irregular novamente.

FISCALIZAÇÕES

Ainda nesta manhã, os fiscais estiveram na Rua São Miguel, também no bairro de Igapó para fazer o monitoramento, tendo em vista que ela contribui para o lançamento de efluentes naquela localidade. Em seguida realizaram monitoramentos na Rua Safra, no bairro de Lagoa Azul e na Rua Jeová Jireh, na Redinha, para verificação dos tampões instalados anteriormente pela fiscalização.

A Semurb alerta que descartar água servida na rua ou promover ligação de esgoto na rede de drenagem além de ser ilegal, acarreta danos à saúde da população e traz prejuízos para os cofres públicos. A água servida é toda aquela proveniente do chamado esgoto doméstico ou comercial, ou seja, que resulta do uso de pias, banheiros, máquinas de lavar roupas, pias de cozinha, lavagem de veículos, entre outras.

Qualquer pessoa que presenciar situação similar pode denunciar na Ouvidoria da Semurb pelo telefone (84) 3616-9829, de segunda a sexta, das 8h às 16h. Lembrando que as denúncias podem ser feitas de forma anônima.