terça-feira, 3 de abril de 2018

Reforma ministerial de Temer pode atrapalhar planos de Bolsonaro para vice

Embora exista interesse de deputados do PR em indicar o vice de Bolsonaro (à dir), o partido segue na base do presidente Michel Temer.
A reforma ministerial do governo de Michel Temer, pode dificultar as negociações de quem será vice na chapa do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato ao Palácio do Planalto. Partido interessado na aliança com o parlamentar, o PR mantém o apoio ao governo.
De acordo com o ex-ministro dos Transportes Maurício Quintella Lessa, o PR continua ao lado de Temer, que já admitiu que será candidato ao Palácio do Planalto. "O partido continua na base do governo. Dá apoio ao presidente não só do ponto de vista administrativo, mas também político", afirmou ao HuffPost Brasil.
Quintella deixou o comando do Ministério dos Transportes nesta segunda-feira (2) e retomou o cargo de deputado federal pelo PR. Ele irá disputar uma vaga no Senado por Alagoas.
Em seu lugar, assumiu Valter Casimiro, diretor-geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) desde 2015, indicado pelo partido.
A troca foi acertada em reunião do ex-ministro com Temer e com o ex-deputado Valdemar Costa Neto, um dos caciques da legenda. Quintella nega que a sigla irá formalizar uma aliança com Bolsonaro.
"Não houve nenhuma decisão formal ou informal por parte da executiva do partido em relação a qualquer campanha do Bolsonaro, muito pelo contrário. Acho que no momento em que o partido indica o sucessor para a pasta de Transportes, indica também apoio administrativo e político ao governo de Michel Temer", afirmou o ex-ministro.
Ex-ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa afirma que PR mantém apoio ao presidente Michel Temer.

Magno Malta vice de Bolsonaro

Aliados de Bolsonaro se esforçam para que o senador Magno Malta (PR-ES) seja o número 2 na chapa presidencial. "Bolsonaro e ele têm um excelente relacionamento. Acredito que ele [Malta] pensa sim no nível nacional e agregaria muito porque traz o pessoal cristão", afirmou ao HuffPost Brasil o deputado Delegado Waldir, que trocou o PR pelo PSL.