sexta-feira, 27 de julho de 2018

Morte de Vitória Gabrielly foi praticada de forma 'cruel', diz juiz

Reprodução
O juiz Flávio de Carvalho, da 1ª Vara Criminal de São Roque, aceitou no último dia 19 a denúncia do Ministério Público Estadual de São Paulo contra os três acusados de matar a menina Vitória Gabrielly, de 12 anos, em Araçariguama (SP).
No despacho, o magistrado falou sobre a “gravidade dos fatos, pois, segundo consta teriam arrebatado a vítima em virtude de dívida de drogas” e o “meio cruel na prática do crime, não bastasse a motivação pífia”.
Carvalho falou ainda sobre a fragilidade da menina, pega enquanto brincava, o que, para ele, mostra a periculosidade dos acusados.
Com a decisão, Júlio César de Lima Ergesse e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges Abrantes passaram a ser réus no processo. O advogado do casal disse que os dois afirmam sua inocência. Um defensor público será indicado para a defesa de Júlio Cesar.
Vitória desapareceu no dia 8 de junho, após sair de casa para andar de patins. O desaparecimento gerou uma grande comoção na cidade, que se mobilizou em busca dela. O corpo foi encontrado dias depois. Conforme a perícia, ela foi amarrada e morta no mesmo dia em que desapareceu.
Segundo a investigação, Vitoria foi morta por engano – o alvo era a irmã de um homem que devia dinheiro a um traficante e que se parecia muito com Vitoria. No entanto, segundo o Ministério Público, mesmo sabendo que ela era a vítima errada, os acusados cometeram o crime.
com informações de yahoonotícias