quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Procuradoria Eleitoral pede que anúncio 'Haddad é Lula' seja retirado do ar







O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retire do ar uma das propagandas eleitorais do PT que diz que o candidato do partido, Fernando Haddad, “é Lula” — o programa faz referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, que ocupava o posto de presidenciável da sigla até o fim do mês passado, quando teve a candidatura indeferida pela Justiça.

Segundo o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros,  o PT “tem procurado, de modo furtivo e reiterado, inobservar a proibição de realização de campanha em favor do ex-candidato Luiz Inácio Lula da Silva”. Caso o pedido seja considerado, o partido pode ter de ressarcir os cofres públicos com valores gastos com a propaganda — o dinheiro é advindo do fundo partidário.
A manifestação foi feita em ação movida pelo Partido Novo, que alega haver uma confusão em torno da figura de Lula. O slogan de apresentação da chapa também foi questionado, pois deixa a expressão “Haddad é Lula 13” em maior destaque para a figura do ex-presidente do que para o nome da vice, a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB-RS).
“Explica-se (‘Haddad é Lula’) para confundir; confunde-se, para, de forma obtusa, trazer ao eleitor a ideia de que o ex-candidato Luiz Inácio Lula da Silva ainda compõe a chapa concorrente”, escreveu Medeiros. “Tal contexto revela a difusão da ideia de que o ex-candidato ainda se encontra na disputa, ao lado do terceiro representado [Haddad], criando um ambiente de confusão e incerteza jurídica, a comprometer a normalidade do pleito”, acrescenta. O relator da ação será o ministro Sergio Silveira Banhos.
com informações de yahoonotícias