domingo, 28 de outubro de 2018

Ex-Diretor do HWG relata pedido de socorro de paciente há 4 dias no corredor

Por Sebastião Paulino, médico e advogado:

A SAGA IMPIEDOSA DA SAÚDE PÚBLICA

Este é o relato doloroso do idoso F.S.S, internado há 4 dias em uma das macas de um corredor sombrio do nosso maior hospital público, cuja responsabilidade de gestão é da Secretaria de Estado da Saúde Pública.

Paciente foi acolhido naquela unidade em decorrência de problema vascular em um de seus pés.
É diabético há alguns anos e toma sua medicação conforme orientação médica.

Já sem a visão, cabisbaixo, acompanhado por uma filha, aguarda o momento de transferência para outra unidade especializada no tratamento de sua patologia.

O tempo passa com vagar… as horas duram uma eternidade. O risco de piora é ameaçador, vez que não sendo tratado em tempo hábil, sabe que pode ingressar na estatística dos amputados.
São as agruras infindas de um sistema de saúde que já ocupa leitos de UTI há anos.
Indignado com o sofrimento, tento atenuar a dor. Mendigo a ajuda de outros e percebo que todos são impotentes.
O sistema é cruel. Vidas escorregam por entre nossas mãos enquanto a solução parece longínqua.
Dói conviver com tanto sofrimento evitável.
Dói muito mais saber que a solução existe e parece ser ignorada com mediocridade.
Lamentável!

O Sr. F.S.S. tem em suas veias um pouco do meu sangue.
Ainda guarda consigo as lembranças de uma época em que eu perseguia a minha formação médica. Lembra das minhas feições quando ainda tinha visão.
Costumava repetir que um dia poderia precisar do “socorro” médico… do meu atendimento.
Uma torrente de sentimentos conflitantes insiste em esfacelar a minha paciência e o meu modo sóbrio de enfrentar situações adversas de forma resiliente.
Enquanto eu aderno o meu desatino, ele continua lá… logo ele que me viu terminar o curso médico… logo ele que vibrou com a minha conquista.
Hoje, ele e a família esperam o mínimo do amigo médico. E o pior: eu não consigo ajudá-lo.
Palavras de conforto já não adiantam.
E como ele, outros e outros já estão a caminho do cadafalso, faz tempo.
Só me resta a indignação, o choro incontido e alguns sentimentos reprováveis.
Deus existe!

Natal, 26 de outubro de 2018.

Sebastião Paulino da Costa
Médico. CRM 2.495
Advogado. OAB/RN 2.994