quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Lula é condenado a 12 anos de prisão no caso do Sítio de Atibaia

A juíza federal Gabriela Hardt, juíza substituta da 13ª Vara Federal de Curitiba, condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na ação que envolve o sítio Santa Bárbara, em Atibaia. A defesa do petista afirmou que recorrerá da decisão de Hardt.
O ex-presidente foi condenado pelo suposto recebimento de R$ 1 milhão em propinas referentes às reformas do imóvel que, segundo a sentença, foram custeadas pelas empreiteiras OAS, Odebrecht e Schahin. A propriedade está em nome de Fernando Bittar, filho do amigo de Lula e ex-prefeito de Campinas, Jacó Bittar.
O ex-presidente já cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão no caso triplex, em ‘sala especial’, na sede da Polícia Federal do Paraná, em Curitiba, desde 7 abril de 2018, por decisão do TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região. Em primeira instância ele havia sido condenado pelo então juiz Sergio Moro a nove anos e seis meses pelo caso do triplex.

Defesa de Lula divulga nota sobre decisão da juíza federal

O advogado Cristiano Zanin Martins, por meio de nota, afirma que Lula é alvo de perseguição política. O texto diz que o ex-presidente não é proprietário do sítio e que a decisão desconsiderou provas apresentadas pela defesa.
com informações de yahoonotícias