quinta-feira, 9 de julho de 2020

Mais uma vez, Carlos Bolsonaro se revolta com pedidos de morte ao pai

| |
Foto: Reprodução/Instagram
O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) ficou, mais uma vez, revoltado durante a noite desta terça-feira (7) ao ver as mensagens pedindo a morte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Desde que começaram os rumores de que o pai de Carlos tinha contraído o coronavírus, a hashtag “#ForcaCovid” entrou para os trendings topics, a lista de assuntos mais comentados do Twitter.
Desde que Hélio Schwartsman publicou o texto Por que torço para que Bolsonaro morra, na Folha de São Paulo, o filho do presidente se revoltou mais ainda. Carlos escreveu em seu Twitter: “Palavras prudentes e sofisticadas, sem se indignar patrioticamente contra um artigo criminoso, que prega a morte do Presidente da República, significa desdenhar a escolha democrática de mais de 56 milhões de brasileiros (sic)”.

Antes disso, ele já tinha ficado bravo com as reações em relação à contaminação de seu pai. "A imensa quantidade de pessoas pedindo a morte do chefe do Executivo neste momento deveria ser motivo de solidariedade imediata dos líderes dos outros poderes, mas o que vemos novamente é a seletividade da indignação e ninguém chama os tais 'desumanos' de robôs. Não terão êxito!", postou ele em outra publicação em seu Twitter.

A reação da internet à revolta do vereador foi imediata. O termo "Carluxo", apelido dele, foi parar nos TTs e os internautas lembraram as vezes em que Carlos e seu pai fizeram o mesmo: desejaram a morte de adversários ou ironizaram doenças que eles enfrentavam. A foto em que o vereador aparece fazendo gesto de coração em frente a um muro pichado com as palavras "Morte Temer" também foi repercutida.
O ator Gregório Duvivier, por exemplo, foi um dos que lembraram a frase de Bolsonaro quando a ex-presidente Dilma Rousseff batalhava contra um câncer e também sofria o processo de impeachment: "Espero que saia; infartada, com câncer, de qualquer jeito". Carlos também debochou de Dilma no dia em que a mãe da ex-presidente morreu.
A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP), também lembrou um comentário de outro filho do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que fez piada quando também a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) foi diagnosticada com a doença. "Não sabia que coronavírus dava em porco", publicou o parlamentar em sua conta no Twitter.
com informações de yahoonotícias