sexta-feira, 7 de maio de 2021

Prefeitura define estratégias para buscar alunos ausentes das aulas no formato não-presencial

| |

 


A Rede Municipal de Ensino de Natal continua com as aulas no formato não-presencial para as crianças da Pré-Escola e os estudantes do Ensino Fundamental, incluindo a modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Diante desta realidade, a Prefeitura de Natal, junto à Secretaria Municipal de 

Educação e as unidades de ensino vêm buscando novas estratégias para trazer os alunos que não estão participando das aulas no formato não-presencial e que o conteúdo dessas aulas alcance os estudantes de acordo com as limitações de cada realidade.

De acordo com a secretária adjunta de Gestão Pedagógica, Naire Jane Capistrano, apesar de todo esforço das unidades de ensino para chegar aos alunos com as atividades no formato não-presencial, ainda existem alunos que não estão participando e a SME está apoiando as escolas na busca desses estudantes. “A educação é fundamental e a parceria entre escola e família sempre foi muito importante, e ainda mais, nesse momento difícil que estamos vivendo. Reforçamos que os pais procurem as unidades de ensino e conversem com a equipe pedagógica para saber a melhor forma de como a criança pode continuar participando das atividades”, enfatiza Naire Capistrano.

Para os alunos do 9º ano, as aulas do ano letivo 2020 retornaram em setembro passado, por meio das teleaulas pela Band RN. Para as demais séries, o conteúdo foi inicialmente retomado no início de fevereiro, quando seria implantado o formato híbrido (presencial e não presencial). Porém, com o aumento no número de casos e internações da Covid-19 no município, o retorno ocorreu somente no formato não-presencial. A gestão de algumas escolas, no entanto, já havia retomado as atividades, optando pelo formato online ainda no ano passado, como na Escola Municipal Professor Amadeu Araújo, na Zona Norte.

Para o gestor pedagógico da Amadeu Araújo, Harisson Dantas, a maneira mais segura, no que diz respeito aos riscos de contaminação, é priorizar o contato online entre professores e alunos. “As aulas têm acontecido através de ferramentas de fácil acesso, como o aplicativo WhatsApp através de grupos que já existiam antes da pandemia”, explica o gestor, que também faz uso de ferramentas do Google, como o Meet, Classroom e Forms, continuando com essas estratégias em fevereiro, quando veio a determinação da Secretaria Municipal de Educação para o retorno das aulas no formato não-presencial.

“A grande maioria dos alunos está acompanhando as aulas online, com adesão maior que 75%. Nosso problema hoje é a rotatividade de alunos que assistem às aulas de apenas algumas disciplinas, mas já estamos nos reunindo com os pais para saber o motivo dessa dificuldade”, explicou Dantas. A escola tem 1.023 estudantes matriculados do 6º ao 9º ano, além da EJA (Nível I ao IV).

Já na Escola Municipal Vereador José Sotero, as aulas estão acontecendo tanto com a estratégia do formato online como na entrega presencial de atividades, segundo informa o gestor pedagógico Francisco Canindé do Nascimento. “Começamos esse trabalho entre setembro e outubro de 2020, e em fevereiro deste ano, nós retomamos. Sempre mobilizando, sensibilizando, mandando as atividades e realizando as aulas com os professores e tirando as dúvidas no contato com os alunos. Para aqueles estudantes que não têm nenhuma condição de ter acesso às aulas online, marcamos o dia para eles pegarem as atividades impressas”, pontuou Nascimento. A escola atende hoje 751 alunos do 6° ao 9° ano, no bairro de Igapó.