quarta-feira, 21 de julho de 2021

Belfort encara De La Hoya em setembro sob as regras do boxe

| |

Originalmente, programada para acontecer no dia 19 de setembro, em Las Vegas (EUA), a superluta entre Vitor Belfort e Oscar De La Hoya, que será disputada sob as regras do boxe, tem nova data e local. Nesta quarta-feira (21), Ryan Kavanaugh, CEO da 'Triller', confirmou à 'ESPN' americana que o evento promovido pela companhia e liderado pelas lendas acontecerá no dia 11 de setembro, em Los Angeles (EUA).

Outra importante mudança anunciada foi o caráter do confronto. Inicialmente acordado para ser disputado como uma luta de exibição, a peleja agora será realizada como um combate profissional e regulada pela Comissão Atlética da Califórnia. O ginásio 'Staples Center' - casa dos times da NBA Los Angeles Lakers e Los Angeles Clippers - será o palco do evento promovido pela Triller. Além do duelo entre Belfort e De La Hoya, nenhuma outra luta foi anunciada até o momento para o card do show.

Sem competir desde maio de 2018, quando foi nocauteado por Lyoto Machida no UFC 224, Vitor Belfort retornará à ativa para sua segunda experiência na nobre arte. Em 2006, o carioca fez sua estreia profissional no boxe nocauteando Josemario Neves, na Bahia. Depois de sua última luta pelo Ultimate, o ex-campeão peso-meio-pesado (93 kg) da liga anunciou sua aposentadoria, mas no ano seguinte assinou com o 'ONE Championship'.

Porém, apesar da expectativa criada, o veterano não chegou a estrear pelo evento asiático, com o qual já não possui mais vínculo. Antes de chegar a um acordo para encarar De La Hoya, Belfort chegou a anunciar uma luta contra o youtuber Mike Holston, mais conhecido como 'Tarzann', que aconteceria em junho deste ano, mas acabou adiada e, posteriormente, cancelada. 

Por sua vez, Oscar De La Hoya é amplamente reconhecido como um dos maiores boxeadores de todos os tempos. Durante sua longa e vitoriosa carreira profissional, que perdurou de 1992 a 2008, o 'Golden Boy', como é conhecido, acumulou um cartel de 39 triunfos, 30 deles por nocaute, e seis derrotas, além de ter conquistado 11 títulos mundiais em seis categorias de peso diferentes. O americano de ascendência mexicana também conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona, na Espanha, em 1992. 

Com informações de: proesporte.aponews