terça-feira, 6 de julho de 2021

CBF explica motivo de ter pulado o número 24 na camisa na Seleção na Copa América

| |


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na noite desta sexta-feira, cumpriu a decisão liminar da Justiça em ação do Grupo Arco Íris de Cidadania LGBT e explicou o motivo de ter pulado o número 24 da camisa dos jogadores na Seleção Brasileira na Copa América, onde pulou do 23 para o 25. Em juízo, a entidade afirmou que a decisão foi “em razão de sua posição (meio campo) e por mera liberalidade optou-se pelo número 25”, já que justamente o 25, Douglas Luiz, é meia, e não defensor.

“Como poderia ter sido 24, 26, 27 ou 28, a depender da posição desportiva do jogador convocado: em regra, numeração mais baixa para os defensores, mediana para volantes e meio campo, e mais alta para os atacantes”, completou a defesa da CBF na resposta em juízo, completando que os números são escolhidos pela comissão técnica da Seleção Brasileira, departamento comandado por Juninho Paulista.

Ainda na explicação, a CBF declarou que o regulamento inicial da Copa América permitia somente a inscrição de 23 jogadores. 

No momento inicial, a Conmebol, segundo a CBF, estabeleceu a utilização dos números 1 a 23. Depois, por conta da pandemia da Covid-19, o regulamento foi alterado, possibilitando a inscrição de mais cinco jogadores, mas “como a CBF vem cumprindo rigorosamente os protocolos sanitários e não apresentou casos de contaminação, a Comissão Técnica sentiu-se confortável em convocar apenas mais um jogador, além dos 23 inicialmente inscritos”.

“A CBF tem ciência das taxas de violência contra a população LGBTQIA+, tal como mencionado na inicial, do cenário histórico e culturalmente preconceituoso da sociedade brasileira e, por essa mesma razão, tem se mobilizado a favor das lutas da comunidade LGBTQIA+ contra a homofobia nesse segmento há alguns anos. Simples assim”, argumentou a defesa da CBF em juízo, colocando prints de redes sociais da entidade onde observou esta conduta.

O juiz Ricardo Cyfer, da 10ª Vara Cível da Capital do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), na última terça-feira, havia dado 48 horas para a CBF explicar os questionamentos sobre o caso. Com a explicação de agora, o magistrado deve dar nova manifestação na segunda-feira.


Com informações de: esportenewsmundo